Motivação

SerQ - Pólo de inovação e dinamização no setor agro-florestal

 

O SerQ – Centro de Inovação e Competências da Floresta é uma associação científica, tecnológica e de formação. Tem como objeto a investigação e desenvolvimento experimental, formação, transferência de tecnologia, consultoria, certificação e validação de produtos e soluções.

No setor agro-florestal, o SerQ pretende ser um polo dinamizador da inovação e diferenciação, investimento e criação de emprego, com objetivo estratégico de promover a competitividade deste setor, através da melhoria da qualidade das matérias-primas, desenvolvimento de novos produtos e soluções, contribuindo desta forma para o aumento da competitividade externa das empresas do setor. A atuação do SerQ abrange toda a cadeia de valor desde a produção até à colocação do produto de base florestal no mercado.

Para a concretização dos seus objetivos, compete ao SerQ a realização e promoção de atividades, nomeadamente:

  • de investigação e desenvolvimento (I&D);
  • de valorização e divulgação de resultados (I&D) e concretização da implementação a nível empresarial;
  • de formação de recursos humanos em articulação com outras instituições, de ensino e científicas, de âmbito nacional e internacional;
  • que contribuam para a modernização e desenvolvimento local, dos setores florestal e dos materiais naturais, bem como dos setores do ambiente, do desenvolvimento sustentável e do desenvolvimento rural;
  • que reforcem a colaboração e as ligações entre os seus associados e dos seus associados com a comunidade científica e empresarial;
  • que reforcem a colaboração com as entidades científicas e empresariais, nacionais e internacionais, com interesses comuns nos domínios de atuação, com vista a promover a transferência de tecnologia e aumentar a rede de conhecimentos multidisciplinares;
  • de prestação de serviços de consultoria e apoio técnico a pessoas singulares e coletivas, incluindo organismos de administração central, regional e local;
  • participação em projetos nacionais e internacionais;
  • de apoio, divulgação, permuta e promoção de iniciativas científicas e experimentais de valorização do setor agro-florestal e defesa do ambiente, e de promoção de valores ambientais para a fruição sustentável dos territórios;
  • de apoio à investigação aplicada, nomeadamente, no âmbito da incubação e do empreendedorismo de base tecnológica.