Notícias

SerQ constituído em parceria com LNEC e Univ. Coimbra

SerQ constituído em parceria com LNEC e Univ. Coimbra

Foi formalmente constituído a 19 de maio o SerQ - Centro de lnovação e Competências da Floresta, tendo a assinatura da escritura decorrido em cerimónia solene no Salão Nobre dos Paços do Concelho da Sertã.

Assinaram a escritura de formalização José Farinha Nunes, Presidente da Câmara Municipal da Sertã, Carlos Pina, Presidente do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), e João Carvalho e Silva, Reitor da Universidade de Coimbra. Após a constituição formal, realizou-se o ato simbólico de colocação da primeira pedra no local de implantação do SerQ, na Zona Industrial da Sertã.

O SerQ – Centro de Inovação e Competências da Floresta pretende ser um polo dinamizador de investimento e criação de emprego na região, onde a investigação científica, a inovação e a incubação de empresas dão corpo ao projeto.

O edifício de 2.100 m2 onde se instalará o centro é um edifício funcional, pensado de raiz para albergar três valências distintas mas complementares: espaço de investigação científica da madeira e floresta, espaço Fablab e uma incubadora de empresas com quatro salas, passível de se expandir por módulos, caso se verifique a necessidade de albergar mais start up’s. Possuirá zona comum com várias salas vocacionadas para a parte administrativa, salas de reuniões com equipamento informático e zona de refeições, sendo o serviço de receção comum às três valências.

Com um investimento global de 2.1 milhões de euros (1 milhão para equipamentos e 1,1 para a construção do edifício) e sendo 85% do total comparticipado por candidaturas, prevê-se que a obra esteja finalizada em fevereiro do próximo ano.

José Farinha Nunes, Presidente da Câmara Municipal da Sertã, congratula-se pela parceria estabelecida com o LNEC e a Universidade de Coimbra “onde a geração e a transferência de conhecimento no seu território é o objetivo fundamental, cumprindo também o desígnio de criação de emprego, de novos postos de trabalho e de riqueza para a região e para o País.”

“O SerQ irá promover a investigação, inovação e desenvolvimento no seu espaço territorial, promovendo laços com as empresas, onde se verifique efetiva transferência de tecnologia e massa crítica, permitindo à nossa economia reais mais-valias, nomeadamente no campo da madeira e dos seus produtos”, concluiu o autarca.

Para Carlos Pina, Presidente do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, a parceria na criação do Centro de Inovação e Competências da Floresta cumpre uma das missões de serviço público da instituição que representa, na medida em que almeja “desenvolver o conhecimento junto da sociedade, dos industriais e dos produtores, sem esquecer a Universidade de Coimbra, igualmente parceira neste projeto”.

Para João Carvalho e Silva, Reitor da Universidade de Coimbra, a parceria estabelecida SerQ cumpre a missão de preservação e transferência de conhecimento, sendo só possível com o “envolvimento de todas as empresas do sector da floresta. Um dos desafios que temos pela frente é conseguir que as empresas e entidades ligadas à floresta sintam que o SerQ tem capacidade para os ajudar e que devem participar.“ “O SerQ está totalmente aberto ao envolvimento dos agentes económicos locais: as pessoas da Sertã e das regiões limítrofes ligadas à Floresta têm que sentir que o SerQ também é seu”, concluiu.

Refira-se que esta nova entidade incorporará brevemente mais associados, públicos e privados, com abrangência nacional.